Início
NOTÍCIAS
13/09/2018
TURISMO NA SAÚDE: Ex-gestores assumem falta de capacitação técnica à frente do CDMIC
Assessoria de imprensa

Das três pessoas ouvidas durante a oitiva da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Saúde, duas delas, ex-gestores do Centro de Distribuição de Medicamentos (CDMIC) da Secretaria de Saúde de Cuiabá, assumiram ter incapacidade técnica para gerir o órgão, responsável pelo abastecimento de toda rede municipal de medicamentos.

Com formação acadêmica na área de Turismo, Cleiton Miranda Lima e Altayr Paixão dos Santos afirmaram não seguir ou conhecer os protocolos do Sistema Único de Saúde (SUS) em relação às formas de controle, conferência e distribuição de medicamentos.

“Eu não tenho formação na área. Mas sempre busquei fazer um bom trabalho. Assim como o senhor vereador. Não tem formação na área, mas é um bom vereador”, comparou Altayr ao ser questionado pelo presidente da CPI, vereador Abilio Junior (PSC) sobre a incapacidade técnica na área de saúde.

Durante a administração de Altayr, o CDMIC permaneceu por aproximadamente oito meses sem monitoramento. Posterior a esse período, o Centro foi aparelhado, contudo, foi alvo de um furto ocorrido em outubro de 2017, em que teriam sido levados 107, CPU’s, 104 monitores e 10 televisores. Diante do ocorrido, afirmou Altayr, “foram tomadas as devidas providências”.

Outra depoente da CPI, a atual diretora do CDMIC, Luciana Franco Marcelo Carvalho, confirmou em seu depoimento que, devido à urgência de aquisição de medicamentos e insumos, o órgão descumpre os protocolos e tabelas SUS para ações de cotação, pregão e licitação, controle e monitoramento. Essa prática foi bastante criticada pelo membro da CPI, vereador Dr. Xavier (PTC).

“Não há um histórico. É uma situação complicada, um problema sério. O certo seria ter um farmacêutico em cada unidade de saúde”, apontou Xavier, diante da prática adotada pela gestão municipal de Saúde.

Conforme Abilio, após os depoimentos ficou evidente a contratação de pessoas sem capacidade técnica na área de saúde, prejudicando a compra e distribuição falta de entrosamento entre Central de Distribuição e as farmácias, inviabilizando a mensuração de quanto é feito de compra e distribuição e isso acontece quando a gente não tem um histórico de compra e consumo.

“A gente não sabe o quanto foi consumido em 2016, em 2017 e o quanto a gente gastou por mês, para quem foi entregue. Ou seja, se quiser furtar um medicamento nesses locais, a gente não consegue identificar para onde esse medicamento foi levado, pois não há um sistema de rastreamento”, explicou.

Além disso, salientou o presidente da CPI, a contratação de forma emergencial onera os cofres públicos. “Acaba que prejudica a ampla concorrência, tendo que comprar aqui mesmo no local devido a emergência, o que as empresas sabem dessa necessidade e dão o preço que ela quiser, podendo ser, inclusive, bem acima da tabela SUS”, considerou Abilio.

Assessoria de Imprensa/Ver. Abilio Jr.
Dana Campos.



Imprimir Voltar Compartilhar:  




+ Notícias
22/04 - Toninho de Souza assume vaga na Assembleia Legislativa de Mato Grosso
22/04 - Mais de 1500 atletas participaram da 2ª Corrida do Legislativo Cuiabano
22/04 - Garis recebem medalha de reconhecimento ao trabalho prestado na 2ª corrida do Legislativo
21/04 - Garis recebem medalha de reconhecimento ao trabalho prestado na 2ª corrida do Legislativo
21/04 - Mais de 1500 atletas participaram da 2ª Corrida do Legislativo Cuiabano
20/04 - ARTIGO: Mais do que um shopping, uma família popular
18/04 - Bussiki propõe quarentena para ex-secretários firmarem contratos com a prefeitura
18/04 - Câmara solicita que prefeito tome uma decisão quanto à intervenção da Santa Casa até terça-feira
18/04 - Vereador Dilemário protesta contra o cancelamento do Peixe Santo
18/04 - Vereadores apreciam sete mensagens na sessão de quinta (18)
18/04 - Tribuna livre: Pacientes com fibromialgia pedem ajuda dos parlamentares
SESSÃO AO VIVO
INFORMES
Praça Moreira Cabral - Centro - s/n - Cuiabá-MT - CEP 78020-010 - Fone: (65) 3617-1500
Desenvolvimento: Secretaria de Comunicação - Todos os direitos reservados © 2018
O horário de atendimento ao público é de segunda a sexta-feira das 7:00hs às 18:00hs.